O Milagre da Palavra: Again!

Dessa vez foi “óbice”. Posso quase jurar que nunca ouvi tal coisa na vida. Hoje, contudo, escrevia um texto para o site (nunca ficam prontos, rs) e, por alguma razão, fui pesquisar no dicionário se existia a palavra “probleminha”. Não tive sucesso, só deparei com “problema”. Contudo, clicando estupidamente na aba sinônimos, vi que um sinônimo de “problema” é – não “probleminha”, o que seria ridículo – mas “óbice”. Isso me chamou a atenção, aliás: fiquei pensando que “óbice” não soa como “problema”, isto é, se alguém disser algo como “estou com um óbice lá no emprego”, vai soar esquisito pacas.

Pois bem… Coisa de nem duas horas depois, já na Internet, estou vendo um tópico, do qual eu participava, e bem aqui, dita pelo Carlos, a frase “Se a realidade é puramente material, não deveria ser tão dificil ou muito menos impossível, tal óbice se verificar”. A palavra saltou à vista! Como diabos é possível encontrar uma palavra tão rara, e que eu nunca tinha ouvido, num intervalo de duas horas?

Não foi a primeira vez que isto me aconteceu na vida, longe disso.

Minha teoria maluca é a de que minha consciência – quântica? – ao ler o termo “óbice” pela primeira vez, deparou-se com um evento improvável e, assim, viajou para um universo paralelo estranho – segue-se, aí, uma segunda estranheza: ler a palavra “óbice” outra vez. Nos termos de Lost, “óbice” foi minha constante, rs.

Minha opinião sensata é a de que eu já devo ter visto esta palavra algumas vezes, mas sempre esqueci – afinal, das vezes anteriores, ela não reapareceu duas horas depois. E é sempre assim: conheço muitas palavras novas todos os dias, sobretudo quando estou imerso em textos, como hoje. A maioria destas palavras novas eu esqueço, mas quando, por acaso, uma delas se repete, aí isto marca! Com qualquer palavra que acontecesse, eu teria a sensação de que nunca a havia ouvido antes, porque esqueci.

Tanto é que, agora mesmo, eu não lembro de nenhuma das palavras que, no passado, se repetiram do jeito que “óbice” fez hoje. Só lembro que algumas se repetiram.

=================================

Atualizado: 13.06.08!

Uau! Nem demorou, aconteceu de novo! Apenas 10 dias depois do post acima, desta vez com a expressão “sine qua non”. Eu já a havia ouvido, mas só hoje entendi que significava algo como “necessário”. Logo depois de apreender o sentido, no mesmo dia, vi a palavra em outro contexto, também na net.

Imprimatur!

Anúncios

2 Respostas to “O Milagre da Palavra: Again!”

  1. Jonatas Says:

    Coincidências são curiosas… talvez elas pareçam assim, mas não sejam tão incríveis, se na vida houver um grande número de possibilidades de coincidência, mas só algumas realmente ocorrem, e nós as interpretamos de modo a parecerem incríveis e improváveis, mas esquecemos de todas as possibilidades de coincidência que não se consumaram.

    Ou talvez haja alguma lógica por traz das coincidências, mas essa possibilidade parece demasiado ilógica.

    Nós temos um viés, um erro de funcionamento, ao interpretar esse tipo de coisa, acho eu, exemplificado pelo caso da astrologia: ao lerem interpretações randômicas de horóscopo, as pessoas têm uma grande chance de achar que a interpretação se aplica especialmente a elas ou à situação delas (segundo mostrado por um estudo que não me lembro bem). Isso vale para a sorte de hoje do Orkut, ignoramos as vezes em que a sorte é irrelevante para nós, mas nos admiramos nas vezes em que ela se aplica levemente à nossa situação.

    Talvez o caso do óbice tenha sido um trabalho do seu subconsciente. Nós interpretamos e lemos mais do que podemos prestar atenção em um dado momento. As vezes eu passo o olho por um texto, por 1 segundo, e me surpreendo, me impressiono com, ou mantenho na mente alguma palavra particular do texto à qual eu não tinha prestado atenção, mas que foi captada pelo meu subconsciente, então volto e procuro atentamente pela palavra no texto, e a encontro em algum lugar.

    Eu também não conhecia a palavra óbice.

  2. Paralelo Says:

    Jonatas, enriqueceste o post! 🙂

    Subscrevo tudo o que você disse.

    Por sinal, pouco antes de eu viajar pra cá (estava em Belém em 2006), o orkut me mandou esta sorte: “você vai fazer uma longa viagem”.

    Wow!

    Lembro de comentar com meu irmão, não totalmente brincando: “estará o orkut tendo acesso ao conteúdo de e-mails?!”. Ele disse que seria impossível analisar tantas informações, de tanta gente, e somente para fazer a “sorte do dia” acertar o alvo, kkkkkkkkkkkk

    Sou cético, mas é divertido brincar com as possibilidades.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: